0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×

As micoses são infeções causadas por fungos que atingem a pele, as unhas e os cabelos.
Os fungos são organismos microscópicos que vivem praticamente em todos os ambientes.
Os fungos encontram-se em todo o lado, inclusive em várias partes do corpo humano.
Estes organismos infetam mais facilmente as regiões húmidas e quentes do corpo, sendo as mais afetadas as pessoas que trabalham em contacto com a água.

Existem diversos tipos de micoses superficiais, sendo as mais comuns a pitiríase versicolor, as tinhas, a candidíase e as onicomicoses.

A Pitiríase Versicolor é uma doença crónica, que aparece e desaparece ciclicamente. O fungo que a causa pertence ao género Malassezia e trata-se de uma infeção mais frequente nos adolescentes e jovens. O aspeto típico desta doença é a presença de manchas brancas na pele, com descamação, localizadas na parte superior dos braços, tronco, pescoço e rostos. Podem ser agrupadas ou isoladas.
As Tinhas são micoses superficiais causadas por diversos tipos de fungos. São os que causam o chamado “pé de atleta”. Mas podem afetar outras zonas do corpo, como o couro cabeludo, as unhas, a barba ou qualquer outra parte e apresentam-se sob a forma de manchas vermelhas, com descamação, de contorno bem definido e podem também
formar bolhas ou crostas. A queixa mais comum é a comichão que pode ser muito intensa ou até dolorosa.
No caso da Candidíase, a infeção é causada por fungos do género Candida, que pode causar micoses superficiais e micoses profundas, de maior gravidade. Estas micoses tendem a causar comichão e ardor.
As Onicomicoses podem afetar as unhas dos pés e das mãos. São mais frequentes depois dos 55 anos de idade e são raras na infância. As unhas infetadas apresentam uma coloração diferente e ficam deformadas e espessas, podendo descolar-se.

A prevenção das micoses passa pela adoção de hábitos de higiene adequados. Assim, após o banho, a pele deve ser bem seca, principalmente as pregas de pele e os dedos dos pés, de modo a evitar a humidade que facilita o crescimento dos fungos. É igualmente importante evitar manter roupa molhada vestida durante longos períodos, evitar roupas
quentes e justas e sapatos fechados no verão, não utilizar vestuário ou objetos pessoais de outras pessoas, não utilizar material de manicura que não esteja devidamente desinfetado e não andar descalço em pisos húmidos ou frequentados por outras pessoas.

O tratamento dependerá do tipo e gravidade da micose. Podem ser tratados com medicamentos antifúngicos tópicos ou orais, no caso da Pitiríase Versicolor; com cremes antimicóticos, no caso das Tinhas (“pé de atleta”); com cremes e loções antifúngicas, no caso das Candidíases; e no caso das Onicomicoses são recomendados medicamentos locais ou orais.

Fontes: saudeCUF; LuzSaude