0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×

Basta entrar num supermercado para perceber que Páscoa é sinónimo consumo excessivo de açúcar: amêndoas, ovos e coelhos de chocolate estão por todo o lado. Dar e receber estes doces faz parte da tradição e o apelo ao consumo multiplica-se em ofertas cada vez mais variadas e atrativas.

Na verdade, trata-se de uma prenda envenenada. Os malefícios do consumo excessivo estão cada vez mais bem documentados. Obesidade, diabetes e cárie dentária estão associadas à ingestão de doces e produtos que contêm açúcar escondido, tais como os cereais, pão e massas. E se, no dia-a-dia, em Portugal, cada pessoa consome, sem saber, em média, 90 gramas de açúcar por dia, não é difícil imaginar que em épocas como a Páscoa esse valor aumenta consideravelmente.

Cárie dentária e perda evitável de dentição

Os riscos são especialmente graves para a saúde das crianças, nomeadamente para saúde oral. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), a cárie dentária é um importante problema de saúde pública global e é a doença não transmissível mais disseminada. É também o problema mais prevalente, incluído no Estudo Global de Carga de Doenças de 2015, ficando em primeiro lugar nas causas de deterioração dos dentes permanentes e em 12º lugar nos dentes de leite, atingindo 560 milhões de crianças globalmente. A OMS recorda que a cárie dentária pode ser prevenida, evitando os açúcares na alimentação e através de intervenções simples, como uma boa higiene oral.

6 regras para uma boa higiene oral

1 – Escolher uma escova macia ou média. As escovas duras não são mais eficazes, além de poderem causar lesões nas gengivas e eventuais problemas no futuro. Uma escovagem correta depende em boa parte do estado da escova. A cada três meses deve trocar de escova ou sempre esta apresentar sinais de desgaste.

2 – Usar o dentífrico adequado. Cada vez existem mais variedade e opções no mercado, no entanto deve certificar-se que está a usa o mais adequado para si. Aconselhe-se com o seu médico dentista ou com o seu farmacêutico.

3 – Adotar a técnica correta. A Ordem dos Médicos Dentistas recomenda que, para uma boa limpeza dos dentes, se adote a técnica 2x2x2

4 – Escovar com o movimento adequado. A escova deve estar num ângulo de 45 graus contra a gengiva, e escovar horizontalmente, para que limpar o espaço entre a gengiva e os dentes, onde frequentemente começa a inflamação gengival.

5 – Cobrir todas as superfícies. Com movimentos curtos e suaves a escovagem deve percorrer toda a arcada dentária e todas as superfícies dos dentes: internas, externas e de mastigação.  Como entre os dentes, a escova não chega, é importante associar à escovagem, antes ou depois, o fio dentário ou escovilhões. Uma boa higiene oral só está completa desta forma.

6 – A língua também conta.  Para mantar um hálito fresco e saudável é importante remover as bactéricas que se acumulam também na língua, que deve ser escovada suavemente da base até à ponta. 

Aconselhe-se connosco sobre quais os produtos mais adequado para si e para a sua família.

Fontes: https://www.who.int/oral_health/publications/sugars-dental-caries-keyfacts/en/; https://www.sabado.pt/ciencia—saude/detalhe/os-perigos-do-acucar-para-a-saude; https://www.oralmed.pt/noticias/2018-05-22/como-escovar-os-dentes-em-5-passos